O que é atacarejo e quais suas principais vantagens

O que é atacarejo e quais suas principais vantagens

O cenário de crise prolongada nacional acabou modificando o perfil de consumo das famílias brasileiras, que cada vez mais têm buscado por melhores condições de compras e estoques para se proteger das altas de preço. É nesse contexto que o atacarejo se mostra como uma das opções que mais tem crescido no Brasil.

O volume desse tipo de estabelecimento mais do que dobrou nos últimos anos, e continua com uma grande tendência de alta por aqui, herdando uma tradição norte americana das famosas megastores.

O que é o atacarejo

Unindo atacado e varejo, esse segmento vende produtos em grande quantidade e/ou em grandes embalagens, em tamanhos que dificilmente se encontra nos mercados comuns.

O atacado, que até então era frequentado por lojistas e donos de estabelecimento, oferecia essacomodidade em poder comprar em grandes quantidades e unidades com um preço reduzido. Quando essa modalidade chega até o consumidor final – a pessoa física –, ganha uma série de novos contornos.

Maior parte dos consumidores finais costuma fazer suas compras em mercados e hipermercados, que fazem de tudo para criar um ambiente aconchegante, chamativo, setorizado, seguem toda uma dinâmica de layouts para mexerem com a psicologia do consumidor e incentivar não só o consumo, mas aquela experiência de satisfação e pertencimento ao fazer uma compra.

Acontece que essa “experiência” incorre em alguns custos maiores com fluxo de trabalho aumentado, reposições, decoração, estoques menores, marketing, variedade e muito mais. Já no atacarejo o consumidor final acaba abrindo mão de tudo isso para aproveitar outros diferenciais.

O que é o atacarejo

Como funciona o atacarejo?

Os atacarejos são estabelecimentos onde o consumidor final vai encontrar muitos produtos sendo vendidos em grandes quantidades, como fardos de refrigerantes, pacotes tamanho família de salgados, doces em caixa e afins. 

A ideia é vender produtos pouco perecíveis em grande quantidade, pois quanto maior for a compra, menor fica o preço unitário final de cada produto.

Por abrir mão do layout de loja, o ambiente de compras e as gôndolas já servem como estoque, o que aumenta ainda mais a otimização de estoque máximo e diminui os custos constantes com reposição.

A venda em embalagens maiores também diminui o custo final do produto por peso ou unidade, por isso é tão comum lanchonetes, lojas de conveniência e pequenos varejos fazerem suas compras em atacados. Isso diminui o manejo com um conjunto de fornecedores diferentes, unificando e diminuindo os custos.

As vantagens do atacarejo

O atacarejo já se tornou um segmento popular no dia a dia do brasileiro, e seu principal mérito é conseguir comprar com preços baixos e repassá-los ao consumidor. Isso se dá especialmente pelos contratos de fornecimento, tanto com grandes conglomerados quanto com indústrias regionais, que faz com que esses negócios recebam uma série de produtos de poucos fornecedores diferentes.

A diminuição de gastos com layout de loja e funcionários aumenta a rentabilidade, já que o cliente é quem se serve dos produtos, que ficam dispostos em grandes quantidades nas gôndolas.

A busca por produtos com mais unidades e compras mais baratas e maiores já colocou o atacarejo na mira de diversas famílias. Isso aumenta o volume de compras e diminui o fluxo de clientes. Com menos idas ao mercado e compras mais volumosas, o ticket médio dos atacarejos é bem maior que o dos mercados tradicionais.

A estrutura do atacarejo como um todo é preparada para alocação e manejo logístico, o que torna esse tipo de estabelecimento especializado em reposição rápida e consistente, diminuindo o volume de perdas, que também é amenizado com o baixo custo unitário de cada produto nas compras grandes.

Sistemas como os ERPs ajudam a otimizar o manejo de quantidades massivas de produtos de maneira altamente objetiva, diminuindo custos operacionais e aumentando consideravelmente o entendimento dos maiores êxitos e erros a serem corrigidos.

Esse tipo de estoque permite criar ainda mais promoções com lotes mais perto do período de expiração, o que acaba criando um importantechamariz para clientes.

As vantagens do atacarejo

As desvantagens do atacarejo

Por ter seu espaço comprometido com o manejo do estoque máximo, os atacarejos têm poucas oportunidades de oferecer um layout mais convidativo, assim como ficam impossibilitados de criar uma setorização que concentre diferentes tipos de produtos, com as padarias, lojas de eletrônicos, brinquedos e cosméticos.

Outro problema com a estrutura do atacarejo se refere à dificuldade de oferecer produtos mais exclusivos ou mesmo com maior variedade, já que a economia que faz desse segmento tão especial vem justamente do contrato com menos fornecedores. Com isso, a diversidade fica bem menor e junto dela a possibilidade de oferecer uma série de produtos que poderiam agir como chamariz aos clientes.

Outro problema que o atacarejo enfrenta para conseguir garantir uma variedade maior aos clientes é lidar com produtos perecíveis e frios, que ocupam mais espaço e energia, aumentando o custo embutido de um produto sem com isso aumentar sua lucratividade.

Muitos mercados têm investido em criar praças de alimentação e agregar farmácias e diversas outras conveniências em suas estruturas, fazendo os mercados cada vez mais parecidos com shoppings, o que atrai uma parte dos clientes, mas para os atacados se torna um grande desafio infraestrutural que pode custar alguns nichos de clientes.

Agora que você entendeu mais sobre o atacarejo, vale a pena fazer aquele balanço tanto para investidores quanto para consumidores e conhecer mais de perto esse tipo de comércio.

Aqui no blog da SG Sistemas você fica por dentro de todas as novidades do mundo do varejo e suas principais tecnologias, com dicas e tendências em primeira mão, basta assinar nossa newsletter e receber nossos conteúdos semanalmente!

Roger Toshi

Roger Toshi, apaixonado por tecnologia aplicada ao varejo, é formado em Direito pela Unicesumar, com MBA em Gestão de Pessoas e Liderança pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Desde 2017 atua como gerente Administrativo e de Marketing da SG Sistemas.

Deixe um comentário