11 indicadores de desempenho logístico para seu negócio

11 indicadores de desempenho logístico para seu negócio

Acompanhar os indicadores de desempenho logístico é uma prática indispensável para conseguir mensurar os resultados que está alcançando com seu negócio. Eles ajudam a enxergar se os processos da empresa estão ocorrendo da forma correta ou se você, gestor, precisa modificar alguma parte da operação para que essa passe a funcionar como deveria.

A fim de te ajudar a entender o que e quais são esses indicadores, a SG Sistemas preparou esse post recheado de informações. E já que estamos falando de maneiras de identificar se um processo está dando certo ou não, dê uma olhada no nosso conteúdo sobre o que são gargalos e como identificá-los!

Antes de mais nada: o que são os indicadores de desempenho logístico?

Os indicadores de desempenho logístico são uma ferramenta de gestão empresarial que permitem a análise do resultado real de certo processo de um negócio. Eles fazem com que seja mais fácil e assertivo o momento de tomadas de decisões e desenvolvimento de estratégias.

Esses aparatos também são chamados de KPI’s e podem servir para mensurar as mais diversas ações internas. No entanto, os que são focados no desempenho logístico cuidam de três tópicos específicos. São eles:

  • gerenciamento de estoque;
  • transporte de produtos;
  • segurança da carga.

Ao delimitar sua análise nesses três pontos, é possível compreender a eficiência de atendimento, pois tratam diretamente dos produtos e da maneira que eles chegarão até o consumidor final.

Imagem com fundo azul, borda azul clara e explicação à direita sobre o que são indicadores logísiticos

Qual a importância desse acompanhamento de desempenho?

Como falamos, ficar de olho nessas métricas ajuda na compreensão dos resultados reais alcançados em certo período. No então, existe uma série de vantagens para quem acompanha os KPIs de logística da empresa, prática que faz total diferença na assertividade da gestão.

Para te ajudar a entender quais são elas, listamos os principais pontos que esse tipo de análise melhora. São eles:

  • otimizar a produtividade dos diferentes setores da empresa;
  • identificar mais facilmente as etapas que estão com falhas ou gargalos de produção;
  • aumentar o padrão de qualidade do atendimento;
  • melhorar os índices de satisfação de seus consumidores;
  • ter um direcionamento mais assertivo sobre as decisões e estratégias da empresa;
  • aumentar a fidelização da clientela.

Apenas com essas mudanças que o acompanhamento de métricas de desempenho logístico pode promover, já dá para ver como ele faz toda a diferença na produção e nos resultados da empresa, não é mesmo?

Como é possível definir qual KPI de logística utilizar?

Como existe uma vasta lista de indicadores de desempenho de logística, nem sempre todas as empresas precisarão utilizar todos eles para poder definir seus resultados e estratégias. Por exemplo, se seu modelo de negócio não trabalha com estoque próprio, não faz sentido utilizar o KPI de nível médio do estoque, certo?

Então para definir quais deve usar, é necessário olhar para a forma que sua marca atua, como ela se posiciona no mercado e o que fato é mensurar resultados para sua realidade. Assim, poderá escolher de forma assertiva quais os indicadores que levará em consideração.

E agora que sabe desses detalhes, vamos a lista de KPI de logística que podem ajudar sua gestão!

Imagem com fundo azul, borda azul clara e desenhos de setas de desempenho à direita

11 indicadores de desempenho logístico para aplicar em seu negócio

Confira uma lista completa sobre como esses índices funcionam e como ajudam seu negócio! Veja também nosso post sobre o que é logística 4.0 e entenda mais sobre esse modelo de negócio que pode se beneficiar dos KPIs!

1. Custos logísticos da operação

Esse indicador representa a somatória de todos os gastos feitos para a realização das operações da empresa. Ou seja, o custo desde a produção de um item, até os valores envolvidos no envio para que esse produto chegue até quem o comprou. Também é necessário contabilizar estoque, as sobras de materiais, impostos e outros débitos feitos por parte da marca.

Com esses parâmetros o setor de gestão tem uma visão mais clara sobre as partes que estão dando prejuízos e quais podem ser otimizadas para obter um maior lucro. Assim, esse KPI ajuda a tornar mais rentável toda essa operação, aumentando o dinheiro em caixa.

2. Número de ocorrências

O número de ocorrências diz respeito a trocas, extravios, avaria de produto e outras situações que fogem do planejado. Isso indica que a encomenda de um cliente não foi finalizada de maneira integral ou o fechamento foi fora do prazo. Com essa métrica, é possível entender as falhas na operação de seu negócio e, consequentemente, os pontos de melhoria.

Como cada uma dessas ocorrências geram um custo a mais, seja para reenvio, reposição ou devolução do valor pago, esse é um índice prioritário para conseguir mensurar quanto tempo e dinheiro está sendo perdido por conta desses erros. Dessa maneira, poderá compreender como esse tipo de erro afeta diretamente o desempenho.

3. Efetividade do serviço de entregas

O indicador que está relacionado diretamente com o cumprimento das metas de entrega, levando em conta o tempo que demora entre a saída da carga até ela estar em mãos de quem a comprou. Esse medidor também observa se as encomendas chegaram parcialmente ou foram entregues em sua totalidade.

Com essa análise você e sua equipe de gestão entende quais são os principais problemas enfrentadas no setor de envios de sua empresa. Esse ponto afeta diretamente na satisfação de seus clientes e pode gerar avaliações negativas caso deixe a desejar.

4. Cálculo dos custos de frete

O valor de frete é uma taxa que tem grande impacto na logística da empresa, pois influencia diretamente no preço desse serviço que é pago pelo consumidor final e pode se tornar um obstáculo para a finalização da compra. Para fazer esse cálculo é necessário ignorar os gastos de produção daquele item e considerar os custos pagos à transportadora ou o orçamento para entregas caso possua um setor apenas para isso em sua empresa.

Observando esses valores é possível entender as melhores rotas para reduzir gastos, quais os modelos de envio são mais vantajosos e quanto é necessário investir na área para que torne esse setor mais assertivo. Dessa forma, será necessário remanejar demandas menos vezes e também diminuirá o impacto no valor pago pelo cliente.

5. Número de cargas rastreáveis

Essa é uma divisão entre o número de cargas que podem ser rastreadas durante seu percurso e o total de envios dentro de um mesmo espaço de tempo. É um cálculo que permite compreender quão confiável são os serviços da transportadora que utiliza para o transporte de suas cargas.

É bem mais difícil confiar em uma empresa terceirizada que leva seus produtos mas não oferece uma boa taxa de rastreamento desses pacotes. Afinal, é interessante que a gestão de seu negócio consiga ter uma noção de quanto tempo está demorando para cada entrega, ou qual o percentual dessas cargas que estão realmente chegando no cliente.

Tendo uma clareza nas análises, poderá decidir se a melhor escolha é permanecer com esse serviço que já utiliza ou optar para uma transportadora que ofereça mais segurança para suas cargas.

6. Taxa de atraso das entregas

Calcular essa métrica é indispensável para entender quão efetivo está sendo a logística do negócio, pois um atraso pode ser gerado pela transportadora ou por um gargalo na produção ou liberação para envio. Como esse tipo de situação reduz drasticamente a satisfação dos clientes, é importante acompanhar essa taxa para que ela possa ser resolvida caso ultrapasse um limite aceitável.

Assim como explicamos antes, esses indicadores de desempenho de logística servem para auxiliar na tomada de decisões estratégicas e assertivas. Dessa maneira, entender quão elevado é o número de atrasos, é possível mensurar em quais etapas da operação são necessárias mudanças para reduzir esse índice. A maneira mais simples de conseguir acompanhar esses valores é utilizando um software de gestão que controla de maneira automatizada o tempo de produção, as saídas e as entregas.

7. Tempo de ciclo de cada pedido

Pode ser chamado também de Lead Time, pois considera o tempo que um pedido demora para ser concluído. Esse cálculo inicia no momento em que uma demanda entra no sistema, contabiliza sua demora para ser produzido, enviado e finaliza no momento em que chega ao seu destino final.

Esse indicador trabalha junto com a taxa de atrasos na entrega para identificar os momentos que mais demoram no processo. Assim dá para entender se o motivo que faz os prazos não serem cumpridos é de fato o transporte ou algum processo interno. Também é por essa análise que é possível entender os gargalos.

8. Exatidão do inventário

Esse KPI logístico ajuda a compreender se o estoque que a empresa possui e os registros contábeis estão batendo. Dá para realizar essa análise com uma somatória total de produtos, ou medindo a exatidão de item por item. Seja qual for sua escolha, o cálculo para chegar a esse resultado:

Exatidão do inventário = (quantidade de produtos em estoque x 100) / quantidades de baixas daquele item na contabilidade

Se os valores não forem correspondentes, a equipe de gestão poderá identificar se há falhas como perda de produtos, desperdício de materiais, inconsistências de registros, entre outros.

9. Nível médio do estoque

Com certeza esse é um dos mais importantes medidores para negócios que atuam diretamente no setor logístico. Essa medição entende qual é a quantidade média de produtos em estoque em um certo período ou considerando os diferentes produtos. Dessa forma, é mais simples acompanhar as vendas realizadas e também os desperdícios que acontecem nos processos internos da empresa.

Utilizar esse KPI te ajuda a entender em que etapa está o erro que afeta o estoque de seu negócio, e também auxilia na tomada de decisão sobre como superar esse problema.

Veja também nosso post sobre como calcular o ponto de ressuprimento que está intimamente conectado ao nível médio de estoque!

10. Exatidão das notas de transporte

Sabe quando um pedido acaba atrasando para sair ou volta para a empresa por conta de erro na emissão da nota fiscal? Esse é o cálculo que identifica a quantidade – em números exatos ou em porcentagem – de cargas que não apresentaram nenhuma falha nessa etapa.

Caso leve essa análise mais a fundo, poderá identificar se existem mais falhas no registro de valores, nas informações de peso ou por faltar o preenchimento correto. Esse indicador também ajuda entender qual a quantidade de etapas que necessitam de um retrabalho, o que gera mais custos para a empresa.

11. Pedido perfeito

A taxa que mede a quantidade de pedidos perfeito está ligada àquelas encomendas que não apresentam nenhum erro desde a entrada e registro no sistema, até o prazo de entrega sendo respeitado. Essa é uma importância medição para a logística do negócio pois ajuda a compreender qual a taxa de sucesso que está alcançando com sua operação.

O cálculo para esse KPI é o seguinte:

Pedidos perfeitos = (Quantidade de pedidos perfeitos realizados em um período x 100) / Total de pedidos fechados no mesmo período

O que achou desses indicadores de desempenho logístico? Já conhecia algum deles? Faça uma análise na operação de sua empresa para entender quais deles realmente fazem sentido para ser aplicado em seu negócio. Acompanhe o blog da SG Sistemas para acessar a muitos outros conteúdos que irão te ajudar a melhorar a gestão de sua empresa!

Roger Toshi

Roger Toshi, apaixonado por tecnologia aplicada ao varejo, é formado em Direito pela Unicesumar, com MBA em Gestão de Pessoas e Liderança pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Desde 2017 atua como gerente Administrativo e de Marketing da SG Sistemas.

Deixe um comentário