Sistema PDV, o que é e para que serve?

Sistema PDV, o que é e para que serve?

Se você é empreendedor ou está planejando abrir o próprio negócio, é muito provável que já tenha ouvido falar sobre PDV. A sigla se refere a ponto de venda e inclui loja física, virtual, caixa do estabelecimento comercial, consultores de venda e qualquer recurso que possa auxiliar em todo esse processo.

No post de hoje vamos explicar com mais detalhes o que é PDV, como ele funciona, tipos e algumas estratégias que podem auxiliar no crescimento da sua empresa. Confira!

O que é PDV?

A sigla PDV é utilizada para se referir a ponto de venda. Trata-se de todos os sistemas e/ou equipamentos utilizados em um estabelecimento para fazer com que ele funcione de verdade.

Um ponto de venda pode ser um quiosque, loja física, e-commerce, supermercado, marketplace ou qualquer outro estabelecimento. Em um PDV, o cliente escolhe o que vai comprar e finaliza o pagamento no caixa físico ou plataforma online.

O que é sistema PDV e como ele funciona?

A sigla PDV também é muito utilizada para se referir a um sistema completo, responsável pela automação comercial e integração de todos os recursos utilizados em um estabelecimento: desde a emissão de documentos fiscais, gestão de estoque e operações de pagamento.

De modo geral, o PDV reúne informações de maneira prática e rápida sobre a entrada e saída de mercadorias. Além disso, por centralizar todos os dados do negócio, auxilia no monitoramento de todos os processos, contribuindo para uma gestão financeira mais assertiva e eficiente.

Assim, um PDV abrange três fatores essenciais no processo de venda:

  • Terminal: local onde ficam as máquinas registradoras, as máquinas de cartão e impressora para pagamento;
  • Software: instalado ao computador para unir o setor de estoque e financeiro do estabelecimento;
  • Fiscal: por meio do PDV frente de caixa são impressas as notas NF-e, NFC-e e CF-e SAT.

Tipos de PDV e principais características

Existem diversos tipos de PDV, que são adaptáveis a cada tipo de negócio. Veja abaixo os principais:

PDV fixo x PDV online

O PDV fixo é o mais tradicional e é o primeiro que pensamos quando ouvimos sobre pontos de venda. Ele se refere a lojas físicas como supermercados, shopping e galerias, em que o cliente vai até o estabelecimento para fazer suas compras. Um PDV físico precisa de uma boa localização, decoração, organização e atrativos para chamar seus consumidores para o local.

Já o PDV online se refere às lojas virtuais como e-commerces, marketplaces, social commerce e aplicativos. Esse modelo cresceu muito, principalmente após a pandemia, quando até empresas que antes operavam só com comércios físicos, passaram a vender online também.

No caso do PDV online, os pontos a se observar são design de interface, meios de pagamento online e outros fatores que influenciam na usabilidade do usuário no mundo digital.

Loja própria x Loja de terceiros x Loja colaborativa

O PDV pode ocupar um local de gerenciamento próprio de uma empresa ou de terceiros. No caso próprio, pode ser um local alugado, um imóvel próprio ou uma loja virtual.

Quando falamos de espaços de terceiro, estamos nos referindo aos PDV que ocupam shoppings, galerias ou marketplaces. Ou seja, ainda são negócios com gestão própria, mas ocupam um local que já tem uma infraestrutura pronta de comércio.

O PDV pode ainda ser colaborativo, no qual diferentes empresas dividem o espaço e os custos do local. Um exemplo são as empresas que vendem produtos artesanais, com clientes semelhantes de perfil, que se reúnem em feiras.

Loja exclusiva x Loja multimarcas

O PDV pode vender produtos somente de determinada marca e ser uma loja exclusiva, como a Hering ou a Farm, ou ser um multimarcas, que trabalha com itens de vários fornecedores, como a Riachuelo e Havan.

Como gerenciar o ponto de venda?

O bom gerenciamento do PDV é essencial para o sucesso de um negócio. Algumas estratégias podem ser usadas para gerenciar um ponto de venda, veja as principais:

1. Conheça sua persona

O primeiro ponto é conhecer quais são as características e o perfil do seu cliente. Quem tem interesse no seu produto, quais são as suas necessidade, o comportamento, interesses e por que ele compra da sua empresa?

Essa pesquisa com a descrição da sua persona é importante para direcionar o marketing de venda da sua marca e atingir com mais assertividade as pessoas com maior potencial de ser seu cliente.

2. Integre os diferentes canais

As empresas que visam crescer geralmente integram mais de um tipo de canal de venda. Nesse caso, é importante que os meios se comuniquem e ofereçam a mesma experiência ao usuário.

Por exemplo, uma loja física pode ter também um PDV online por aplicativo. Com a integração, a empresa pode oferecer a opção ao cliente de retirar na loja um item que comprou pelo aplicativo.

3. Utilize um sistema PVD

O sistema PDV oferece mais do que agilidade em uma venda. Por isso, ele pode apresentar diversos recursos para a gestão financeira, de estoque e fiscal. Veja quais funcionalidades não podem faltar em um PDV completo:

  • Controle financeiro: auxilia, em tempo real, no conhecimento de todas as entradas e saídas de um negócio e ainda concilia as formas de pagamento, como cartão, dinheiro e meios digitais;
  • Emissão de nota fiscal: auxilia na emissão e no envio de documentos fiscais de forma prática e automática. Basta inserir os dados ou selecionar um cadastro pré-existente;
  • Logística integrada: para os negócios que conciliam mais de um processo logístico essa funcionalidade não pode faltar! Funciona como uma plataforma de gestão de entregas, que consegue integrar o sistema com aplicativos nos quais você tem parceria;
  • Gerenciamento de estoque: integração dos itens que tem em estoque com o que foi vendido com atualização em tempo real;
  • Frente de caixa: etapa final do processo de compra, essencial para tornar a experiência do seu cliente agradável. Deve oferecer opções de pagamento de forma prática e rápida.

Monitore as métricas de PDV

O PDV precisa de um acompanhamento para verificar se a gestão está sendo eficiente. Custo de aquisição de clientes (CA), retorno sobre investimento (ROI) e taxa de conversão são algumas das métricas que podem ser acompanhadas e analisadas pelos responsáveis para verificar se alguma mudança deve ser estudada.

Quais as vantagens de investir em um sistema PDV?

Sabemos que no planejamento de uma empresa é preciso avaliar com calma as vantagens que determinado investimento vai trazer para seu negócio. Se você tem dúvidas de como um sistema PDV pode ajudar em uma gestão mais eficiente, confira algumas de suas vantagens:

Melhor gestão do estoque

Já pensou em vender algum produto sem ter ele no estoque? Isso pode causar um grande prejuízo para a empresa e um descontentamento por parte do cliente. O PDV integra o sistema de estoque, o que quer dizer que, na prática, toda vez que algum item for vendido, as informações do estoque serão atualizadas.

Essa funcionalidade também auxilia o gestor a visualizar de forma mais prática quando determinado produto estiver acabando ou quando um item estiver “encalhado” por muito tempo no estoque.

Maior controle financeiro

O fator responsável por toda a operação de uma empresa é a parte de vendas. Sem um cliente interessado em comprar ou seu produto, ou contratar o seu serviço, um negócio não sobrevive. Assim, com o controle de vendas automatizado, o risco de erros e desvios financeiros é diminuído e o envio de documentos fiscais é feito de forma mais simplificada e prática.

Tudo isso impacta em uma gestão mais eficiente e no planejamento de estratégias mais assertivas para o futuro do empreendimento.

Otimização de processos

Com um sistema PDV, o atendente tem uma ferramenta para fechar sua venda e otimiza uma série de etapas de registros do processo. Essa agilidade é sentida também pelo cliente, que terá um atendimento mais rápido e eficiente, com menos filas e burocracia.

Maior segurança de dados

Outra grande vantagem do sistema PDV é a segurança que ele oferece para os dados armazenados, ele oferece opção de backup evitando a perda de informações e dados importantes.

No caso dos sistemas online, os arquivos são armazenados na nuvem e protegidos por criptografia, em que apenas o emissor e o receptor conseguem ler as informações. O software ainda envia de forma automática as NFC-e para o setor responsável e evita problemas com o fisco.

Veja também: Quais tecnologias devem fazer parte do varejo digital?

É muito importante uma empresa estar ciente sobre o ponto de venda. É nele que toda a negociação e finalização das vendas ocorrem. Algumas estratégias podem ajudar a melhorar o gerenciamento do PDV e a tecnologia auxilia muito com a disponibilidade de softwares apropriados para a gestão.

Continue acompanhando o blog da SG Sistemas para mais conteúdos como este, até a próxima!

Avalie esse post

Roger Toshi

Roger Toshi, apaixonado por tecnologia aplicada ao varejo, é formado em Direito pela Unicesumar, com MBA em Gestão de Pessoas e Liderança pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Desde 2017 atua como gerente Administrativo e de Marketing da SG Sistemas.

Deixe um comentário