09

abr
2018
Frente de caixa: o que realmente precisamos saber

A frente de caixa, nomenclatura muito utilizada no comércio varejista, diz respeito ao lugar onde os clientes finalizam as compras, ou seja, passam as mercadorias e pagam por elas. No caso dos supermercados, trata-se do próprio caixa, mas nem sempre é assim.

Você já ouviu falar em pontos de vendas (PDVs)? Também comum, o termo é muitas vezes utilizado como sinônimo de de frente de caixa, porém a equivalência entre os conceitos não é total.

Um PDV pode ser entendido, de modo geral, como qualquer local onde o cliente obtenha o produto e realize o pagamento por ele. Entretanto, esse conceito, é um pouco mais abrangente nos dias de hoje, podendo significar outros locais dentro supermercado, como displays, estandes ou ilhas de exposição de mercadorias.

Ou seja, toda frente de caixa é um PDV, mas nem todo PDV é uma frente de caixa, entendeu? Aliás, para saber mais sobre frentes de caixa e como estruturá-las de forma eficiente no seu supermercado, atente-se às dicas que o blog da SG Sistemas preparou para você.

Acompanhe a leitura e descubra tudo o que você precisa saber sobre o assunto! Vamos lá:

Desvendando a frente de caixa

Para este post, vamos considerar PDV e frente de caixa como sinônimos, mas, independentemente da concepção, devemos nos atentar a diversos elementos para o sucesso do funcionamento de um supermercado. 

Imagine que o caixa é o ponto de convergência de todos os esforços adotados dentro da empresa, afinal, é lá que acontece o momento em que o cliente está pagando por suas compras, concretizando o objetivo principal da empresa, que é realizar vendas e obter lucro.

Ou seja, não é exagero afirmar que o caixa PDV é o lugar mais importante do seu comércio e, como tal, deve ser o ambiente mais funcional, integrado, efetivo e satisfatório do comércio!

Logística, administração, controle de estoque, operacional e todos os outros setores do supermercado, embora de suma importância para o desenvolvimento das vendas, trabalham com o objetivo final de gerar vendas e, consequentemente, o superávit comercial. Isso, por si só, já é suficiente para entendermos a necessidade de um caixa muito bem estruturado, certo?

Além disso, o momento em que o consumidor passa pela frente de caixa é crucial para medir sua satisfação – a valiosa satisfação do cliente –, uma vez que é nessa hora que ocorrerá a avaliação do atendimento por parte dele. 

Alguns fatores, como longos períodos de espera na fila ou mesmo na hora de registrar os produtos no caixa, geram sentimentos de impaciência e descaso, resultando na baixa fidelização e no fim prematuro do ciclo de vida do cliente

Função tripla e sistema de retaguarda: o que isso significa?

O sistema de retaguarda, outro termo prático relacionado à frente de caixa e ao PDV, é nada mais que o conjunto das 3 principais funções desempenhadas no local da finalização das compras – a chamada função tripla:

  • Primeiramente, o cliente chega com as mercadorias desejadas no terminal/caixa, então se inicia o processo de registro das mercadorias no módulo do software de gestão; logo depois, a máquina de pagamento de cartão ou outro dispositivo utilizado para efetuar pagamentos são acionados e, por último, com a impressora de DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica, que é a representação gráfica da Nota Fiscal Eletrônica);
  • Em seguida, as mercadorias são registradas no software de gestão para cumprir as exigências do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), funcionalidade muito importante, uma vez que realiza a integração do estoque e das finanças dentro do sistema;
  • Por último, ocorre a integração das informações financeiras com o banco, comunicando a entrada e saída de valores no momento em que um pagamento é efetuado.

Dessa forma, é possível entender melhor as múltiplas operações realizadas quando é efetuada uma venda, e por isso os sistemas de retaguarda são importantes, pois fornecem informações estratégicas dificilmente fornecidas sem um sistema de gestão completo.

Assim é possível identificar os movimentos diários de mercadorias, bem como identificar horários e dias do mês em que o pico de vendas é mais alto e o supermercadista pode elaborar estratégias para aumentar a margem de lucro.

Isto significa que o sistema de retaguarda apoia o processo de frente de caixa, trazendo maior segurança com identificação dos códigos de barras, controle de estoque, dados e etc.

Para entender a diferença:

  • A frente de caixa consiste no principal atendimento ao cliente, onde se concretiza o objetivo final do supermercado, que é a venda;
  • Já o sistema de retaguarda é o setor responsável pelo controle de identificação dos produtos, bem como o seu fluxo de vendas (controla código de barras, leitores, impressoras térmicas ou via termo-transferência com uso de ribbon).

Dicas para estruturar a frente de caixa em supermercados

Agora que você já sabe tudo sobre os processos que envolve a finalização de comprar nos PDVs, hora de saber como organizar e otimizar a frente de caixa do seu estabelecimento. Por meio de ações simples, voltadas aos clientes, é possível fidelizar mais clientes e garantir-lhes a satisfação.

Algumas dicas úteis incluem:

  • Amplie as formas de pagamento

São muitas as vantagens de se oferecer diversas formas de pagamento, mas as duas principais são: ganho de agilidade e satisfação do cliente. Quanto mais rápido o checkout, menores as filas e o tempo de atendimento. Ou seja – ponto positivo para o comerciante!

Além disso, com o uso de cartões cada vez maior, é imprescindível que todo supermercado aceite o maior número de bandeiras, tickets de alimentação e afins, tanto para sair na frente da concorrência quanto para garantir a fidelização do consumidor.

  • Otimize a agilidade dos processos de finalização

Cá entre nós, que pessoa gosta de ficar longos minutos em filas de supermercado? Sem dúvidas, os clientes do seu supermercado é que não são! Por isso, diminuir ao máximo o tempo de atendimento é uma ótima forma de ter um PDV bem estruturado.

Nessa equação entram dois fatores, o humano e o tecnológico. Por isso, investir em treinamento e qualificação para operadores de caixa é o primeiro passo para um time eficiente, ágil e sobretudo cordial.

Caso queira saber mais sobre como treinar operadores de caixa, confira nosso post exclusivo aqui no blog!

  • Invista em um software de gestão de qualidade

O fator tecnológico que pode prejudicar a eficiência do caixa PDV é a qualidade e a eficiência do software de automação do supermercado. Aliás, esse é um dos principais fatores envolvidos no processo.

Códigos de barra, preços e outros dados importantes devem estar corretos e devidamente registrados no software de gestão do seu comércio. Por isso, um sistema de gestão de qualidade é essencial para o seu negócio, bem como profissionais capacitados para utilizá-los.

Gostou do nosso conteúdo? Então assine a nossa newsletter e fique por dentro de toda as atualizações de conteúdo aqui no blog da SG Sistemas, para mais dicas úteis e valiosas para gestão estratégica de supermercados. Até a próxima postagem!

  • Tags: