Dicas para nunca mais errar na escala de folgas do seu estabelecimento

Dicas para nunca mais errar na escala de folgas do seu estabelecimento

Fazer uma boa escala de folgas é uma preocupação de diversos gerentes e donos de negócios, pois esse é um fator determinante para o engajamento da equipe, para o atendimento às legislações de trabalho e para melhor atender ao público. 

Encarar essa tarefa sem a devida atenção poderá acarretar uma série de erros que não resultam em outra coisa senão o prejuízo. Portanto, se quer evitar esses erros continue a leitura aqui no blog da SG Sistemas. Nesse post, te ajudamos a entender os diferentes tipos de escala de folgas, listamos dicas para te ajudar na construção da tabela e, ao fim, um exemplo que pode ser usado na sua empresa. 

Entendendo os diferentes modelos de escala de folga

Antes de fazer a escala de folgas da sua empresa, é preciso entender qual o tipo de jornada que os seus colaboradores cumprem. Em nosso país, esses são os principais tipos de escala: 

  • 5×1: em que o colaborador trabalha por 5 dias seguidos e folga 1;
  • 5×2: um dos mais comuns em escritórios, em que os trabalhadores têm jornada de segunda à sexta e não trabalham por dois dias – o sábado e o domingo;
  • 6×1: também bastante comum, é o modelo de trabalho em que 6 dias são trabalhados na semana, e em 1 o colaborador tira folga;
  • 12×36: modelo de plantões, para estabelecimentos que funcionam 24h por dia, em que cada funcionário trabalha 12 horas seguidas e folga nas próximas 36.

Independente do modelo de escala de folgas escolhido por sua empresa, é essencial seguir o que está definido pela CLT – a Consolidação das Leis de Trabalho do nosso país. Lá, está definido que a jornada de trabalho semanal máxima é a de 44 horas semanais e que semanalmente todos os funcionários precisam de 24 horas de descanso ininterruptas, preferencialmente aos domingos. 

Para consulta, confira na íntegra o que diz o artigo 67 da CLT:

“Art. 67 – Será assegurado a todo empregado um descanso semanal de 24 (vinte e quatro) horas consecutivas, o qual, salvo motivo de conveniência pública ou necessidade imperiosa do serviço, deverá coincidir com o domingo, no todo ou em parte.

Parágrafo único – Nos serviços que exijam trabalho aos domingos, com exceção quanto aos elencos teatrais, será estabelecida escala de revezamento, mensalmente organizada e constando de quadro sujeito à fiscalização.”

Nos estabelecimentos em que é necessário o trabalho aos domingos, a jornada de trabalho pode ocorrer normalmente nestes dias, com a obrigatoriedade da folga em outro dia da semana. No entanto, a folga no domingo deverá ocorrer a cada 3 domingos trabalhados. 

Leia também o nosso post sobre regras trabalhistas para os supermercados abertos aos domingos e entenda a fundo este assunto. 

Além disso, é preciso ter em mente as pausas para almoço e descanso:

  • Em jornadas com mais de 6 horas, é obrigatória a pausa de no mínimo 1 hora de duração para a alimentação e descanso do funcionário;
  • Nas jornadas que estão entre 4 e 6 horas trabalhadas, é preciso uma pausa de 15 minutos. 

6 dicas para fazer uma escala de folgas eficiente: 

Definido o tipo de escala de folgas que sua empresa usará, está na hora de colocar a mão na massa e criar o cronograma com cada funcionário. Para evitar erros nesse momento, listamos 6 dicas que vão te ajudar:

6 dicas para fazer uma escala de folga eficiente

1. Estude os dias que estão por vir 

Às vezes pode parecer que a semana que você está prestes a montar a escala de folgas é uma semana comum mas, na verdade, não é. Eventos podem acontecer na região, feriados podem estar se aproximando ou datas comemorativas como o dia dos namorados que aumentam consideravelmente o movimento em alguns comércios. 

Por exemplo, se você estiver montando a escala de trabalho de um bar noturno, precisa se atentar na semana em que há o jogo decisivo da final do campeonato brasileiro. Nesse dia, a movimentação vai ser maior e você precisará de uma força de trabalho reforçada. 

Portanto, antes de distribuir as escalas de trabalho, estude muito bem o que vai acontecer nesses dias para não cometer o erro de trabalhar com uma equipe reduzida nos dias em que haverá maior movimento. 

Em nosso blog, temos um outro post sobre as datas sazonais e o calendário comercial. Leia este conteúdo também e veja como esse tipo de planejamento pode ajudar no sucesso das suas vendas. 

2. Conheça muito bem a sua equipe 

Você não poderá fazer uma escala assertiva sem conhecer bem cada um dos funcionários. Saber apenas o nome deles e tratá-los como números poderá ocasionar muitos erros na prática. 

Por isso, procure conhecer a fundo cada um dos membros do seu time. Saiba quais deles são pais de família, possuem filhos pequenos, quais fazem faculdade, quais complementam sua renda com algum outro serviço fora do trabalho e outras coisas do tipo. 

Sabendo esses dados, você economiza tempo e dinheiro por não precisar fazer mudanças e substituições após finalizar a escala de folgas, pois os funcionários pedirão por elas se sua escala de trabalho não condizer com suas necessidades fora da empresa. 

3. Tenha seus melhores funcionários em cada um dos turnos

Dentro da etapa de conhecer muito bem a sua equipe está também o mapeamento de perfis e habilidades. Afinal, sabemos que todas as equipes têm funcionários que se destacam e que desempenham seu serviço de forma superior aos outros. Não há nada de errado em fazer essa diferenciação e saber quem são esses funcionários, para trabalhar com esses recursos. 

Use-os a seu favor na hora de criar a escala de folga. Distribua essas pessoas em todos os turnos, para deixar a equipe equilibrada em habilidades. Pense no turno do almoço super movimentado: qual seria o impacto de ter uma equipe de trabalho sem experiência e sem habilidades para lidar com essa pressão? 

Ter os melhores funcionários em cada turno, além de ser benéfico para o atendimento ao cliente, vai subir a régua com toda a equipe, e influenciar para que os outros membros do time aprendam com essas pessoas que se destacam. 

4. Ouça os pedidos da equipe 

Quem trabalha com escala de folgas está acostumado a receber pedidos constantes de trocas. Isso porque os funcionários acabam tendo outros compromissos fora do trabalho e precisam de adaptações. 

Também é papel da empresa cuidar do bem-estar de seus funcionários e atender a esses pedidos tem um papel importante nisso. Portanto, quando for possível, ouça os pedidos da equipe. Para a empresa normalmente é fácil de adequar e para o funcionário significará muito. 

5. Evite a sobrecarga de funcionários

Após finalizar sua escala de folgas, analise um a um como ficará a semana de cada funcionário. Se coloque na pele de cada um deles e observe se não está, sem querer, colocando-o em uma jornada que exija mais de si comparado aos outros colegas. 

Mesmo que todos trabalhem a mesma carga horária, pode ser que você coloque apenas uma pessoa em todos os horários de pico da semana, enquanto outros colaboradores não passam com esses momentos com tanta intensidade. Se isso acontecer, o funcionário mais sobrecarregado pode se sentir injustiçado, o que te causará problemas. 

6. Divulgue a escala com antecedência

As pessoas que trabalham com uma jornada de trabalho incerta, sem saber quais serão seus dias de trabalho, normalmente são bastante ansiosas para conhecer sua escala de folgas. Essas pessoas dependem da escala para fazer outros planos. 

Por isso, tente sempre divulgar suas escalas com ao menos duas semanas de antecedência. Esse é um período bom, pois dá tempo o suficiente para fazer substituições se forem necessárias sem precisar passar por dores de cabeça em cima da hora. 

como fazer uma escala de folga

Exemplo de escala de folgas

Precisa fazer uma escala de folgas do zero e não sabe nem por onde começar? Não há muito o que se preocupar! Na prática, a escala de folgas é uma tabela simples e visual, sem muitos detalhes. Nela, você só colocará o essencial: os dias da semana, o nome dos funcionários e quando é a folga de cada um. 

Tabela de exemplo da escala de folgas 6×1

Dias da Semana / mêsGarçom 1Garçom 2Garçom 3
Seg. (01)X  
Ter. (02) X 
Qua. (03)  X
Qui. (04)   
Sex. (05)   
Sáb. (07)   
Dom. (08)   


No exemplo, o “X” representa o dia em que o garçom irá folgar. Nesta situação, com apenas 3 funcionários, deixamos as folgas para os dias em que há menos movimento e toda a equipe trabalha nos dias de maior intensidade, que ocorrem a partir da quinta-feira. 

Com o passar das semanas, é importante alternar o dia da semana em que essas pessoas folgarão e se lembrar de conceder o domingo periodicamente. 

Embora tenhamos usado garçons no exemplo, você pode usar esse formato de escala de folgas para uma padaria, pizzaria, supermercado, comércio ou qualquer outro negócio em que há a necessidade desse tipo de cronograma. 

Gostou das dicas? Esperamos que elas tenham sido úteis! Se sim, achamos que você vai gostar de conferir os outros posts disponíveis aqui em nosso blog. 

Que tal continuar a leitura vendo as nossas dicas para melhorar os atendimentos do seu operador de caixa? Além de cuidar da satisfação dos seus funcionários no trabalho, você pode tomar algumas medidas que assegurem a satisfação de seus clientes! 

Acesse esse post e confira. Te esperamos por lá! 

Deixe uma resposta